LIZ POR LIZ

LIZ
POR LIZ

Adora elogios, mas não os deixa subirem à cabeça! Críticas, detesta, mas não a rebaixam. Olha o lado positivo. É o que é: Uma mulher madura, com cara de adolescente. Muitos sonhos realizados... Não todos! Baixinha demais, olha para as estrelas! Não acredita na felicidade perene, só em intervalos. Entre a metamorfose e o voo é possível ser feliz! Adora cores, pincéis, tintas. Bordados coloridos. Ponto traçado em nós bem dados. Mas ainda assim prefere a natureza. Água e flores a fascinam! Já se recriou muitas vezes. Aprendeu a se curar com criatividade das dores que pela vida afora vivenciou vivenciando. E se renova sempre que a última pedra for lançada e que é preciso recomeçar do chão. Descobriu que ao escrever suas memórias a dor se torna bem mais leve.  Suas marcas de idade denunciam um riso fácil. Muito bem humorada, sempre gostou de estudar. É formada em Letras, com Pós Graduação em Literatura Moderna e em Gramática da Língua Portuguesa, ambos pela Faculdade Santana e Mestrado em Comunicação e Semiótica pela PUC. Poetisa e Ambientalista, trabalhou na Prefeitura Municipal de São Paulo, aposentando-se no cargo de Coordenadora Pedagógica. Concomitante foi Alfabetizadora e recentemente se aposentou também como Professora do Ensino Fundamental II, onde, com orgulho,  contribuiu para a formação de jovens, no domínio da Leitura e da escrita das palavras. É autora dos livros solos “Mil Pedaços”, de 2012 (poesias)  e  “Intervalos”, de 2013 (contos, dialogando com poesias). Ambos pela Editora Beco dos Poetas. Em 2014, lançou “Amor à Primeira Lambida”, pela Editora Essencial: Uma história de uma Vira-Lata, à princípio rejeitada e que a conquista com  olhar angelical. Em 2015 lançou "Lua no Chão", pela Editora Essencial, contos poéticos. Em 2016 lançou dois livros solos infantis:  "O Resgate" e "A Menina que mastigava Letrinhas", pela Editora Essencial. Na dança da vida, prefere usar palavras com amor do que com rispidez. Todo lado crítico deve ter sabor humano, que nos enriquece em lugar de destruir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário